Foto: Semuc/Andrezza Mariot/Divulgação
O Ceará é o primeiro estado do Nordeste e o quarto do país em vacinação contra a influenza na campanha iniciada em 20 de abril. Com cobertura de 41% da população dos grupos prioritários, foram vacinadas 779.826 pessoas até o início da tarde de quinta-feira (10). Foram registradas ainda 143.786 doses para pessoas com comorbidades e outros grupos populacionais, totalizando 923.612 doses aplicadas em todo o Estado. Vacinação segue até 1º de junho.

Em Fortaleza foram vacinadas 283.844 pessoas até esta quarta (9), representando 45% da meta municipal, sendo a segunda capital do Brasil com o melhor percentual de cobertura vacinal até o momento. Entre os grupos prioritários, a maior cobertura está entre os professores (72%), seguido de trabalhadores de saúde (60%), puérperas (46%), idosos (44%), além de crianças (37%) e gestantes (36%).

Neste sábado (12), Dia D de imunização contra a Influenza, todos os 110 postos de saúde da capital estarão atendendo a população dos grupos prioritários. Além dos postos, os minipostos, em pontos estratégicos da cidade, estarão abertos no horário das 8h às 16h30. A meta de vacinação da capital é imunizar 90% do público-alvo que envolve 630 mil pessoas.

Grupos prioritários

No Ceará, 2.388 postos fixos e 1.110 postos volantes de vacinação deverão funcionar para garantir a imunização exclusivamente das pessoas pertencentes aos grupos prioritários da campanha - idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses aos menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto). Portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais também devem se vacinar.

Em todo o Estado, deverão se vacinar até 1º de junho, 2.286.637 de pessoas. Para alcançar a meta mínima estabelecida pelo Ministério da Saúde para os grupos prioritários que contam para a contagem da cobertura vacinal, deverão se vacinar 1.903.955 pessoas, o que representa 90% da população dos grupos prioritários - 572.271 crianças, 159.438 trabalhadores da saúde, 94.584 gestantes, 15.550 puérperas, 25.977 indígenas, 924.727 idosos, 111.408 professores.

Influenza

A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e à morte, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção (crianças com menos de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).

Sintomas

Febre repentina, tosse, dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações e coriza. Em caso de apresentação desses sintomas, a orientação dos especialistas é procurar um médico ou um posto de saúde a mais rápido possível. Além disso, se o paciente apresentar frequência respiratória superior a 25 respirações por minuto, dores no peito, pressão baixa, dedos das mãos e dos pés arroxeados, confusão mental e sinais de desidratação, é sinal de agravamento do quadro clínico.


Fonte: G1 CE

 
Top