Óbitos por influenza sobem para 63 no Ceará; 78% das mortes são por H1N1 - Portal Aurora Notícias

Óbitos por influenza sobem para 63 no Ceará; 78% das mortes são por H1N1

Compartilhar
Foto: JL Rosa

Subiu para 63 o número de óbitos no Ceará por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) provocada pelo vírus influenza. Destes, 49 foram tiveram como causa o vírus H1N1. Os dados fazem parte do boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (8) pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa). Em relação ao documento publicado na semana passada, foram contabilizadas 4 mortes a mais pelo vírus (três delas somente por H1N!).

Os casos da SRAG por influenza já chegam a 405, sendo 285 causados pelos vírus A H1N1, 86 pelo vírus B, 19 pelo vírus A H3/Sazonal e 15 por um vírus A não subtipado. Segundo a Sesa, 59 municípios cearenses contabilizaram ocorrências da doença e, destes, 24 apresentaram óbitos.

Dos óbitos registrados, 36,5% ocorreram entre pessoas com 60 anos ou mais. As outras faixas etárias mais atingidas foram as de 40 a 49 anos (17,5% das mortes) e de 50 a 59 anos (15,9% das mortes).

De acordo com o boletim, apenas 3 vítimas tinham histórico de vacina contra a influenza. Em relação ao tratamento com Tamiflu, 41 vítimas começaram a terapia, porém apenas 13 foram iniciadas em tempo oportuno.

Na última quarta-feira (6), o Ceará atingiu a meta de vacinação contra influenza. Cerca de 2,1 milhões de pessoas, 90,26% do público-alvo da vacina, foram imunizadas durante a campanha, que teve início no dia 20 de abril. O Estado foi o primeiro do Nordeste e o terceiro do País a alcançar a cobertura esperada.

Fonte: Diário do Nordeste