Foto: SSPDS

Os investimentos feitos pelo Governo do Ceará e os esforços empregados pelas forças de segurança possibilitaram, no mês de maio, reduções nos Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs) em Fortaleza e no balanço geral do Estado. Os dados foram divulgados, nesta quinta-feira (07), em reunião do programa “Em Defesa da Vida”, realizada na sede da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), no bairro São Gerardo, com a presença do gestor da pasta, André Costa. Na Capital, foi registrada uma diminuição de 36,3% se comparado a igual período de 2017. No mês passado, aconteceram 121 CVLIs na Capital. Já em maio do ano passado, foram registrados 190.

A ocupação policial permanente em dez áreas, que estão entre as que mais concentravam homicídios da cidade, é um dos motivos para o resultado alcançado em Fortaleza. Além disso, a Segurança Pública cearense atualmente conta com um forte investimento feito em tecnologia a fim de fornecer informações para uso da inteligência, no intuito de mapear o fluxo de dados e a mobilidade de grupos criminosos no Estado. Esse trabalho tem refletido no índices positivos alcançados em todo o Ceará, que também apresentou redução. Foi registrada uma diminuição de 21%, em maio último, com 372 casos, se comparado ao mesmo mês do ano passado. Em 2017, foram 471 vítimas.

Outros dados positivos, foram as reduções nos Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVP). No CVP 1, que engloba roubos a pessoa, de documentos e outros, Fortaleza teve uma redução de 17,6% em maio de 2018, com 3.421 contra 4.154 em 2017. O Ceará também contabilizou uma diminuição de 20,6%, com um total de 5.083 ocorrências no Estado. Já em 2017, foram 6.402. A diminuição também foi alcançada no CVP 02, que abrange roubos de cargas, a residência, de veículos, a banco e com restrição de liberdade da vítima. Em Fortaleza, foram 518 casos, que corresponde a redução de 31,1%, quando comparado ao mesmo período em 2017, com 752 registros. No Estado, a diminuição foi de 22,8%, quando em maio de 2018, foram 1.008. Já no ano passado, foram 1.305.

Por fim, a SSPDS também contabilizou a redução nos números de Furtos. Em Fortaleza, o balanço positivo contabilizou uma redução de 16,8%; maio de 2018 com 2.526 crimes, contra 3.035, em 2017. No Ceará, as estatísticas foram ainda mais positivas, com o decréscimo de 19,2%; 2018 (4.452) contra 2017 (5.510).

Investimentos

A intensificação no policiamento com o ingresso de novos servidores, o investimento em equipamentos e o trabalho dos setores de inteligência fazem parte dos esforços para combater o crescimento da violência no Estado. Nesta semana, o governador Camilo Santana anunciou implantação do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) e dos sistemas de videmonitoramento em cidades cearenses com população entre 30 mil e 50 mil moradores. Além disso, está prevista para o dia 13 de junho, a nomeação da terceira turma do concurso da Polícia Militar, o que possibilitará o acréscimo de mais 1.400 novos profissionais de segurança nas ruas, atuando no combate ao crime em todo o Ceará. Já no dia 20 também deste mês, também serão empossados mais 650 novos policiais civis que concluíram o curso de formação na Academia Estadual de Segurança Pública (Aesp). Estão em formação, no momento, 246 praças e 32 oficiais para o Corpo de Bombeiros; e mais 393 praças para a Polícia Militar (quarta turma). Desde o início do Governo Camilo Santana, cerca de 9 mil profissionais de segurança já foram nomeados.

Outra medida que a SSPDS destaca é a adoção da política de combate à mobilidade do crime, utilizando o Sistema Policial de Indicativo de Abordagem (Spia) – tecnologia de rastreamento de veículos roubados, furtados, clonados e suspeitos, chegou-se ao crescimento do número de abordagens a veículos suspeitos e envolvidos em delitos, aumentando as prisões e a recuperação de bens aos seus proprietários.

Além do monitoramento feito pelo Spia, o Governo do Estado investiu mais de R$ 20 milhões na instalação de cerca de 700 câmeras de videomonitoramento em 42 municípios da Região Metropolitana e do Interior do Estado, com população acima de 50 mil habitantes. O Estado é o primeiro a investir em equipamentos de videomonitoramento em cidades no Interior. Oito cidades já utilizam o serviço de monitoramento com câmeras com giro de 360º e que possuem tecnologia para ler placas de veículos. A cobertura do sistema é feita 24 horas por dia e as imagens são conectadas diretamente com a Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), na Capital. O investimento no sistema de videomonitoramento contribui para a geração de dados policiais e planejamento das ações cada vez mais eficazes no trabalho ostensivo e preventivo dos profissionais da segurança pública, traduzindo em menores custos operacionais.

Outro iniciativa na área de tecnologia é a cooperação entre a SSPDS e a PRF na gestão de análise de dados de segurança pública do Estado por meio do Projeto SPI (Segurança Pública Integrada), em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC). O projeto vai possibilitar o mapeamento de condutas delitivas em infinitos cenários, facilitando a gestão eficiente dos recursos de policiamento, investigação e inteligência. O Estado investiu em torno de R$ 6 milhões em bolsas para pagamentos de pesquisadores da UFC e de outros departamentos de computação para desenvolver ferramentas de tecnologia customizadas para atender as necessidades locais. Outros R$ 2,5 milhões serão utilizados para a compra de equipamentos de tecnologia para a análise de dados.

 
Top