Adesivo que trata os sintomas do Alzheimer já está disponível no SUS

Foto: Divulgação/SUS

Novo tratamento para o Alzheimer já está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) em forma de adesivo. O remédio rivastigmina, que já existe em comprimido e solução oral agora está disponível via adesivo transdérmico. O benefício é que absorção do remédio acontece ao longo do dia, diminuindo os efeitos colaterais no paciente. Informações são do portal G1.

De acordo com o Ministério da Saúde, o adesivo já está disponível nas unidades de saúde que são responsáveis por distribuir este tipo de remédio. Todos os pacientes com alzheimer que já usem a rivastigmina podem ter acesso, desde que apresentem alguns documentos e estejam dentro dos critérios de elegibilidade dos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêutica (Cartão Nacional de Sáude, RG, prescrição médica, etc)

A rivastigmina aumenta a quantidade da acetilcolina no cerébro e é benéfica pois no corpo de uma pessoa com alzheimer, esta substância fica reduzida. Mas há um obstáculo, que agora pode começar a ser enfrentado com o adesivo. A medicação oral e comprimida causava sintomas gastrointestinais como náuses e diarreia, além de diminuição do apetite e dores de cabeça.

Segundo Rodrigo Schultz, presidente da Associação Brasileira de Alzheimer, a adição deste novo modo de tratamento da doeça representa uma melhora na qualidade de vida de alguns pacientes.

Ele aponta que alguns pacientes têm dificuldade em aceitar os outros medicamentos, como o comprimindo, e acabam cuspindo ou reitirando da boca após a administração. "Com o adesivo ele não consegue fazer isso. Além disso, como a absorção é por via cutânea, há uma redução sensível na possibilidade da existência de efeitos colaterais, principalmente gastrointestinais", aponta.

Fonte: O Povo