Comando Vermelho ameaça deputados Vitor Valim e Capitão Wagner e diz que os dois apoiam arbitrariedades da Polícia



O deputado federal Vítor Valim (PMDB), que também atua como apresentador e comentarista de programa policial na tevê cearense, afirma ter voltado a ser alvo de ameaças por parte de uma facção criminosa. Nas redes sociais, bandidos que se dizem integrantes da “Família CV”, em alusão à facção criminosa cearense Comando Vermelho, instalada no Ceará, acusam Valim de apoiar “condutas antidemocráticas” em comunidades carentes de Fortaleza, se referindo às ações da Polícia.

As ameaças são extensivas a um partido político (Pros) e a outro político local, o deputado estadual Capitão Wagner (Pros). As ameaças em forma de “Circular Informativa do Comando Vermelho do Ceará”, ressaltam que Vitor Valim e Capitão Wagner, “camuflam o que os policiais vêm fazendo em nossas comunidades carentes no estado do Ceará. Eles apoiam a Polícia a agir de forma contrária às leis. Eles permitem que os policiais invadam as casas sem mandado de prisão, permitem que os policiais torturem, permitem que tomem celular na peia até dar a senha”.

E continuam: “Permitem que eles (os policiais) forjem flagrantes, matam e forjam um ato de resistência, sequestram r tomam dinheiro e matam. Vendem pessoas para a facção rival, humilham e espancam bandidos e cidadãos de bem. Entram atirando sempre nas comunidades e permitem e promovem a superlotação e tortura nos presídios do estado”.

O texto publicado é longo e orienta também que os “irmãos” do Comando Vermelho acabem e destruam panfletos, placas, faixas, comícios e outros eventos promovidos pelos políticos e pelo partido Pros.

Por fim, lançam uma mensagem em tom político. “Já fica avisado a todos os partidos políticos que vocês podem apoiar e aprontar contra o nosso povo enquanto estiveram no poder, mas quando as eleições chegarem a Assembleia Legislativa será ocupada por oposição de vocês aqui no estado, pois vamos boicotar sempre, à cada eleição, até que parem tais coisas”.

Com informações do jornalista Fernando Ribeiro