Com gol aos 47, Fortaleza vira depois de sair perdendo de 2 a 0 e estraga tarde de homenagens do Guarani - Portal Aurora Notícias

Com gol aos 47, Fortaleza vira depois de sair perdendo de 2 a 0 e estraga tarde de homenagens do Guarani

Compartilhar


O Fortaleza estragou uma tarde que se desenhava perfeita para o Guarani neste sábado, no Brinco de Ouro. Quando os campeões de 1978 foram homenageados no intervalo, o Bugre ganhava por 2 a 0, e a festa da torcida estava completa. Mas faltou combinar com o líder da Série B do Brasileiro. Sob o comando de Marcinho e Gustagol, o Tricolor de Aço conquistou uma virada incrível, com o gol decisivo aos 47 minutos do segundo tempo, acabou com a euforia bugrina e aumentou a soberania na ponta da tabela. Os visitantes perdiam até os 40 minutos.

Com a terceira vitória consecutiva, o Fortaleza chegou aos 40 pontos e abriu seis de vantagem para o CSA, atual segundo colocado. Já o Guarani perdeu a chance de entrar no G-4. Se segurasse o resultado construído no primeiro tempo, o Bugre fecharia a primeira rodada do returno na terceira colocação. Agora, é apenas o oitavo, com 29 pontos, a dois do grupo de acesso.

Os times voltam a campo somente no próximo sábado. Em casa, o Fortaleza terá a chance de aumentar a série positiva contra o lanterna Boa Esporte, a partir das 16h30. O Guarani também terá pela frente um time da zona de rebaixamento. Um pouco mais tarde, às 19h, enfrenta o vice-lanterna Sampaio Corrêa, no Maranhão.

O Fortaleza provou no Brinco de Ouro que não lidera a Série B com folgas à toa. Quando precisou de alternativas, Rogério Ceni não relutou em acionar o banco de reservas. Primeiro, colocou Marcinho ainda no primeiro tempo. Papai durante a semana, ele só não começou como titular porque perdeu alguns treinos para acompanhar o nascimento da filha. Foi dele o gol da virada, em jogada iniciada por Wilson, outra aposta de Ceni. Por fim, Gustavo, o Gustagol, voltou a jogar depois de quase 40 dias lesionado e mostrou o oportunismo de sempre ao aproveitar sobra na área para empatar, aos 40 minutos. O camisa 9 do Fortaleza de novo foi algoz do Bugre. Na abertura da competição, marcou de falta no último lance para dar a vitória por 2 a 1 no Castelão.

O resultado manteve a invencibilidade de Rogério Ceni contra o Guarani, seja como goleiro ou treinador. As partes já se enfrentaram oficialmente 24 vezes - a maioria quando Ceni defendia a meta do São Paulo, agora 17 vitórias do atual comandante do Fortaleza, além de sete empates.
Cada time dominou um tempo. Antes do intervalo, o Guarani, no embalo da torcida, conseguiu se impor em campo e fez 2 a 0 com autoridade. Bruno Mendes, de cabeça, e Rafael Longuine, em rebote, construíram justa a vantagem alviverde.

A rotação das equipes também foi totalmente diferente depois do intervalo. A bronca de Rogério Ceni no vestiário, revelada por Gustagol ao fim do jogo, surtiu efeito. Um gol de Felipe logo no começo da etapa final recolocou os visitantes no jogo. Com espaços para os contra-ataques, já que o Fortaleza se lançava ao ataque, o Bugre até teve chances de matar o jogo, mas não aproveitou. E pagou caro por isso. De tanto pressionar, o Fortaleza empatou com Gustagol, aos 40.

Os minutos finais deixaram o desfecho imprevisível, com os times buscando a vitória. Mais confiante, o Fortaleza chegou lá, com Marcinho, em novo cruzamento na área. No fim, levou a melhor quem foi mais eficiente.

Durante o intervalo, Renato e Bozó representaram o time campeão de 1978 e subiram ao gramado com a Taça das Bolinhas e camisas comemorativas aos 40 anos do título brasileiro. Sob aplausos da torcida, os dois deram a volta olímpica. Da arquibancada, viram a equipe levar a virada e a festa se transformar em vaias para o atual grupo.

PÚBLICO E RENDA

Público pagante: 7.101/ Renda: R$ 95.958,00

Fonte: Globo Esporte