A operação Conexus foi montada para averiguar suspeita de formação de cartel no CRAJUBAR
(Foto: Polícia Civil)
Por Henrique Macêdo

Na manhã desta quinta-feira (09/08), o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) e a Polícia Civil do Ceará deflagraram a Operação Conexus, que cumpriu 80 mandados de busca e apreensão, onde foram apreendidos 82 celulares, 12 armas de fogo de vários calibres, 316 munições e mais de meio milhão de reais, além de inúmeros equipamentos eletrônicos e documentos.

O nome da operação, Conexus, vem da palavra em latim que significa ligação e faz referência à articulação elaborada entre os suspeitos para as supostas práticas ilícitas.

O Ministério Público iniciou as investigações no mês de outubro de 2016 com o recebimento de um relatório do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O relatório apontava uma possível formação de cartel entre os postos de combustível da região para combinar preços. Em paralelo, os Decons das Comarcas de Crato e Barbalha perceberam um aumento exacerbado no preço de combustíveis e de reclamações da população.

Material apreendido na operação. (Foto: Polícia Civil)

A operação teve como alvo 40 postos de combustível da região do Cariri e seus respectivos proprietários, representantes legais e gerentes, após decisão judicial deferindo o mandado. Participaram da ação 153 Policiais Civis, sendo 31 Delegados de Polícia, bem como 10 Promotores de Justiça, onde foram formados 43 equipes para dar cumprimento aos referidos mandados. Ainda na operação 10 pessoas foram presas, sendo que 2 acabaram sendo recolhidos as cadeias públicas de Juazeiro e Crato.

O delegado regional de Juazeiro do Norte, Juliano Marcula, ressaltou que a magnitude e os resultados da operação surpreenderam a todas as equipes. “Nos surpreendeu a quantidade de dinheiro apreendido quase 700 mil, pois não é comum que haja tanto dinheiro em residências e não nos postos. Em um só local foi encontrado 300 mil reais”, revelou.

Ele destacou, ainda, que fianças de cerca de dez mil reais, foram pagas de forma rápida, “o que demonstra o poder financeiro dos suspeitos”. Em uma das residências, foi encontrada uma máquina de contar cédulas, o que facilitou o levantamento rápido dos valores apreendidos. “Poucas vezes aconteceu no Cariri uma operação desse porte, com essa quantidade de alvos. Considero que ela foi muito exitosa e esperamos que outras operações desse porte possam ocorrer em parceria com o Ministério Público”, disse.

De acordo com o promotor de Justiça Thiago Marques, membro do MPCE, a operação abrangeu boa parte dos postos de gasolina da região do cariri. “Apenas alguns ainda ficaram de fora, mas nos detivemos neste momento àqueles em que tínhamos indícios mais fortes, porém, a investigação ainda está em curso”, ressaltou.

Próximo passo

Todo o material colhido passará por análise e dada continuidade à investigação. São titulares do Procedimento Investigatório Criminal os promotores de Justiça Juliana Silveira Mota, André Luiz Simões Jácome, Francisco das Chagas da Silva, Nivaldo Magalhães Martins, Leonardo Marinho, Rangel Bento Araruna e Thiago Marques Vieira. Deram apoio à operação os promotores de Justiça Flávio Corte Pinheiro de Sousa, Gustavo Henrique Cantanhê de Morgado e Saul Cardoso Onofre de Alencar.


 
Top