Motorista de caminhão envolvido em acidente que matou mulher não era habilitado, diz secretaria

O motorista do caminhão que se envolveu em um acidente com um ônibus provocando a morte da mãe de uma criança de 3 anos em Fortaleza não era habilitado para dirigir nenhum tipo de veículo, segundo a Secretaria de Segurança e Defesa Social. Thaís Silva estava com a criança no colo e a jogou para um outro passageiro momentos antes da colisão. Ela morreu no local e a criança sofreu ferimentos.

O condutor manobrava um veículo de cargas que exige a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria D, segundo determina o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Os dois motoristas - do ônibus e do caminhão - prestaram depoimento no 16º Distrito Policial, no Bairro Dias Macêdo, ainda na segunda-feira. Inquérito policial foi aberto para apurar as respectivas responsabilidades ou indiciamentos dos condutores.

A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) informou ao G1 que o caminhão estava parado na faixa exclusiva de transporte coletivo aguardando o fluxo de veículos diminuir para fazer uma manobra e entrar em um galpão. Disse, ainda, que o coletivo estava em uma velocidade de 49 km/h, numa via que permitia velocidade máxima de 60 km/h.

Assento prioritário

O acidente entre o ônibus e caminhão ocorreu na Avenida Alberto Craveiro, no Bairro Dias Macêdo, na tarde desta segunda-feira (10). A mãe, Thaís Silva, ocupava um assento prioritário porque estava acompanhada da filha, que tem paralisia cerebral.

As duas voltavam de uma sessão de fisioterapia em um hospital no mesmo bairro. Ao perceber que o ônibus se chocaria com o caminhão, a mãe "jogou" a criança nos braços de outro passageiro. O marido de Thaís autorizou a doação das córneas da mulher.

A menina foi atendida no Hospital Instituto Dr. José Frota (IJF), no Centro da Capital e recebeu alta na manhã desta terça-feira (11). Segundo o hospital, a criança não sofreu lesões graves. O velório de Thaís aconteceu nesta manhã na casa da família. O sepultamento ocorreu no início da tarde desta terça-feira (11) no Cemitério Municipal Parque Bom Jardim, no Bairro Granja Lisboa, na capital cearense. Além da menina, outras cinco pessoas se feriram, mas não correm risco de morrer.

O pai da criança e marido de Thaís, José Nicácio, no entanto, conversou com testemunhas que estavam dentro do ônibus. Segundo Nicácio, o condutor do ônibus estava acima da velocidade permitida da avenida.

"Minha esposa morreu por causa da imprudência. Falta de responsabilidade do motorista em alta velocidade. Falta de responsabilidade do motorista. Como é que ele se choca com um caminhão daquele?", pergunta emocionado.

Festa de aniversário

Durante o velório de Thaís, Nicácio revelou que a menina iria completar três anos no próximo sábado (15). A mãe estava preparando a festa há três meses com muito entusiasmo. "Ela estava muito feliz. Já estava preparando a festa dela de aniversário com balão, tudo lá dentro de casa. Fazia três meses que ela programava a festinha da Vitória. Só vou fazer porque ela queria muito e tenho certeza que estará presente na festa", disse o viúvo.

Nicácio lembrou que a esposa se dedicava a cuidar dos três filhos. Além de Vitória, Thaís era mãe de uma menina de 9 anos e de um menino, de 6 anos. A garota tem necessidades especiais e, na ocasião do acidente, a mãe a trazia de uma sessão de fisioterapia.

"Eu estou em choque. Não é pra menos, perdi a mãe dos meus filhos, eu estou agora com três crianças pra tomar de conta sozinho, tendo que trabalhar, e ainda tem essa abençoadazinha de Deus, que tem que ter cuidado redobrado com ela, devido ao problema que ela tem. Então eu estou arrasado, não tenho nem palavras para me expressar direito", diz o pai.


Fonte: G1 CE