Sonhando com o MMA, aurorense lutador de muay thai se destaca em ringues de Rondônia

O aurorense Leandro Ferreira da Silva, de 24 anos, encontrou em Rondônia um novo lar e um estilo de vida através do esporte. Desde que decidiu treinar o muay thai em 2014, o jovem sonha em se tornar um lutador profissional de MMA e já começa a conquistar os primeiros resultados a nível estadual.

Representando a Academia de Muay Thai 013, de Guajará-Mirim, o lutador participou do Thai Champions 3, realizado em Porto Velho no último final de semana e venceu o adversário Luiz Robert, representante da Academia Chute Boxe, da capital. A vitória veio por pontos em decisão unânime dos juízes após cinco rounds duríssimos na categoria até 59 quilos.

Quando está no ringue, Leandro Silva é chamado de Ceará, apelido carinhoso que ganhou na academia, já que é natural da cidade de Aurora (CE). Morando em Guajará-Mirim há quatro meses, o jovem é um dos principais nomes da 013 no município e treina diariamente em busca de melhorar a técnica e a forma física.

O Globo Esporte conversou com Ceará sobre o início da carreira e as ambições que ele tem para o próprio futuro. Veja como foi a entrevista:

Como você se preparou para esta luta e quais foram as maiores dificuldades contra o lutador adversário?

-Treino muay thai há quatro anos e aprendi muito. Treinei duro em período integral, muita repetição, correndo todo dia, é cansativo, mas valeu a pena. A maior dificuldade é que o cara era forte, eu batia e ele vinha para cima. Eu treinei para nocautear, mas ele aguentou bem os golpes, apesar de ter saído machucado.


O sonho de lutar profissionalmente é tua maior ambição neste momento, o que te motiva a batalhar por este objetivo?

-A intenção é essa, quero migrar para o MMA e fazer muitas lutas, meu propósito é esse. A gente não tem ajuda e nem patrocínio, mas metemos a cara e corremos atrás para conseguir chegar nos eventos e lutar. Minha motivação é que eu faço parte da 013, uma das melhores academias do país, quero estar no auge e dar sempre o meu melhor.

O que esperar para os próximos combates?

-Não existe luta fácil, o cara que está do outro lado quer me derrubar, mas eu também quero derrubar ele. Espero sempre adversários duros e fortes, por isso a gente treinar buscando superar os limites todo dia. Ganhei, fiquei feliz, mas agora já penso nos treinos e em estar bem para a próxima luta já.


Para o treinador e companheiro de treino de Leandro, Anderson Dal Moro, a vitória era esperada porque o treinamento é feito em um nível profissional e todos os dias a evolução do atleta é gradativa e o treinamento de pouco mais de um mês foi focado para este combate.

-O nocaute é um detalhe, mas o Leandro ganhou com uma margem grande, esteve muito bem no combate, mas o cara era muito duro e não se entregou, absorveu muitos golpes e continuava de pé. A Chute Boxe é uma equipe forte e que forma lutadores duros, isso valorizou muito a vitória do Leandro, pois gostamos de lutar contra os fortes, ganhar de fracos não tem mérito para nós – avaliou.


Dal Moro finalizou dizendo que o próximo passo é continuar treinando para futuras competições ainda neste ano em Rondônia e também no Acre. Para ele a principal dificuldade é a falta de patrocínio e apoio do pode público.

-Vamos seguir o nosso trabalho de boca fechada, sem alardes e mostrando os resultados dentro do ringue. Aonde aparecer lutas e eventos, vamos querer ir, mas é claro que não depende só de nós, depende de dinheiro também. Há uma molecada nova que está surgindo e logo vão ganhar oportunidades de lutar- concluiu.

Informações do Globoesporte.com - Fotos: Arquivo pessoal - Leandro Ferreira