É #FAKE imagem que mostra pesquisa Datafolha para presidente em capitais do país

Circula nas redes sociais uma imagem que mostra os números de uma pesquisa Datafolha para presidente nas principais capitais. A pesquisa, porém, não existe, e os números são #FAKE.

A imagem falsa aponta intenção de voto para presidente em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Porto Alegre.

Segundo o Datafolha, pesquisas de intenção de voto para presidente com resultados por capital foram realizadas apenas em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Ainda assim, os números que aparecem no gráfico que circula nas redes são falsos.

Ainda de acordo com o Datafolha, Porto Alegre e Salvador não foram cidades contempladas. Foram realizadas entrevistas nas duas cidades, mas como parte da amostra nacional e por região do Brasil.

Desde o começo do segundo turno, foram realizadas duas pesquisas para presidente nas capitais.
Imagem com pesquisa Datafolha nas principais capitais do país é falsa 
Foto: Reprodução

Pesquisa Datafolha de 25 de outubro            

Na imagem falsa, Fernando Haddad (PT) tem 52% dos votos válidos contra 48% de Jair Bolsonaro (PSL) em São Paulo. A última pesquisa Datafolha, que foi divulgada nesta quinta (25), aponta que os verdadeiros percentuais são 54% para Jair Bolsonaro e 46% para Fernando Haddad.

No Rio, os números verdadeiros são 61% para Bolsonaro e 39% para Haddad, e não 57% e 43%, respectivamente, como aparece na pesquisa falsa.

Já em Belo Horizonte, a imagem falsa aponta 55% para Haddad e 45% para Bolsonaro. A verdadeira pesquisa Datafolha mostra que os percentuais são de 40% para Haddad e 60% para Bolsonaro.

Pesquisa Datafolha de 18 de outubro

Os números do gráfico falso também não batem com a pesquisa Datafolha divulgada no dia 18 de outubro.

Em São Paulo, a pesquisa Datafolha indica 58% para Bolsonaro e 42% para Haddad. No Rio de Janeiro, os percentuais são de 65% para Bolsonaro e 35% para Haddad. Já em Belo Horizonte, Bolsonaro fica com 68% e Haddad com 32%.
                 
Fonte: G1