Jair Bolsonaro não virá ao Ceará no segundo turno da campanha - Portal Aurora Notícias

Jair Bolsonaro não virá ao Ceará no segundo turno da campanha

Compartilhar
Foto: José Leomar 

O presidenciável Jair Bolsonaro, do PSL, não virá ao Ceará durante a campanha neste segundo turno das eleições à Presidência da República. A informação foi repassada pelo presidente deu seu partido no Estado, Heitor Freire. Já o petista Fernando Haddad, de acordo com lideranças da legenda, tem o Nordeste como principal local de campanha nos próximos dias, além de Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo.

Segundo informou Freire, Bolsonaro não virá ao Estado, pois depende de avaliação médica para ser liberado para a campanha, o que acontecerá somente na próxima semana.  O presidenciável já cancelou algumas agendas de campanha, como por exemplo, participação em debates políticos. Durante o primeiro turno, ele também não veio ao Ceará, visto que sofreu atentado à faca durante caminhada em Minas Gerais.

No primeiro turno, a vinda do candidato estava marcada para o fim de setembro, o que não aconteceu. A última vez em que ele esteve no Ceará foi no final de junho, ainda no período de pré-campanha. Heitor Freire brincou, dizendo que o presidenciável virá ao Estado, provavelmente, em novembro "após vencer as eleições presidenciais". "Lembrando que o Ceará tem um lugar especial no coração do Bolsonaro devido à família de sua esposa, que é do Estado. O Ceará terá um olhar diferenciado por ele quando for presidente", disse.

Com o objetivo de atrair o maior número de votos para Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL), aliados dos presidenciáveis estão se articulando, no Ceará, em eventos que terão início já na próxima semana. O governador Camilo Santana marcou para a segunda-feira, à noite, uma reunião com todos os candidatos de sua coligação eleitos, para agradecer os votos recebidos, mas, principalmente, fazer chamamento a todos em prol da candidatura de Haddad. 

Camilo quer aproveitar a popularidade e o bom desempenho nas urnas para atrair o maior número de eleitores ao candidato do Partido dos Trabalhadores.  Por outro lado, os aliados de Bolsonaro, em sua maioria membros do PSL e PROS, estão se articulando para que o candidato tenha maior representatividade no Ceará, a partir dos próximos dias. 

Heitor Freire, que preside o PSL do Ceará, esteve nos últimos dias no Rio de Janeiro com o capitão da reserva, e tinha como ideia principal agendar visita de Bolsonaro ao Ceará neste segundo turno das eleições.  Outro que esteve com Bolsonaro foi o deputado federal eleito, Capitão Wagner. O deputado confirmou que alguns tucanos cearenses devem apoiar o candidato do PSL, como é o caso de Roberto Pessoa, eleito deputado federal.

Leonardo Araújo, do MDB também deve apoiar Bolsonaro, ainda que o MDB tenha defendido neutralidade de seus filiados. Como não há verticalização que obrigue que os membros de partidos no Estado fiquem obrigados a votar de acordo com a determinação da executiva nacional, muitos políticos devem apoiar as candidaturas do PT e PSL, de acordo com a consciência de cada um.

Fonte: Diário do Nordeste 

Nenhum comentário:

Postar um comentário