PM de Juazeiro apreende drogas no João Cabral. Um menor de 16 anos foi apreendido e presa uma mulher de 32 acusados de tráfico

Fotos: Vc repórter/WhatsApp

Nesta terça-feira (30) por volta das 20h50minh a equipe Raio 06 com apoio das demais equipes, receberam uma denúncia anônima de tráfico de drogas na residência de número 193 da Avenida da Chesf, no bairro João Cabral. Ao chega no local os militares perceberam que um indivíduo usando blusa azul correu para o interior da casa, o qual foi perseguido vindo a ser abordado voltando do quintal.
O acusado trata-se do menor de 16 anos de iniciais E. R.S.S. residente na Quadra E, 132, Conjunto São Sebastião II do Minha casa minha vida Betolândia. Feita a busca pessoal no adolescente foram encontrados com ele 10 papelotes de maconha.
De acordo com os policiais que atenderam a ocorrência, foi verificado que no telhado do imóvel foi encontrada um bolsa infantil contendo 349 gramas de Maconha, 1,5 de cocaína, uma balança de precisão, um celular e a quantia de R$ 203,50 em dinheiro. Diante dos fatos, o jovem juntamente com os itens apreendidos foi conduzido à delegacia regional de policial civil de Juazeiro do Norte, tendo a Delegada plantonista a Dra. Francisca Suerda determinado a lavratura do auto infracional com base no artigo 33 da lei 11343/06.

Antes por volta das 19h20minh a equipe Raio 08 recebeu uma denúncia anônima que uma remessa de drogas tinha acabado de chegar na rua Pio Norões, 478, João Cabral. A equipe PM deslocou-se ao endereço indicado, vindo a abordar a moradora do local, Cícera Neuza dos Santos, 32 anos e apreender de posse dela 13 papelotes de cocaína (3,5g) e um revólver calibre 38 desmuniciado.
Ainda na abordagem um transeunte informou os militares que a remessa de entorpecentes destinada a acusada estava em uma residência abandonada na Avenida da Chesf, 47, no João onde foram encontrados, 100 trouxinhas de maconha (233g) e 13 porções de maconha embalada (316g) e vários sacos plásticos utilizados para embalagens. Os produtos da apreensão juntamente com a Cícera foram conduzidos a 20ª DRPC para adotar os procedimentos legais.

Fonte: Caririceara