Agricultor é encontrado morto com os olhos arrancados, semi degolado além de uma perfuração no tórax, em Assaré

Foto: Arquivo

O agricultor Arlindo Gomes dos Santos, 37 anos, que residia na Rua Filomena Almeida, 26, Bairro Pedra de Fogo, em Assaré, no cariri cearense foi encontrado assassinado com os olhos arrancados, semi-degolado, além de uma perfuração no tórax por volta do meio-dia deste sábado (10), no bairro Zé Dodô, naquela cidade. O corpo foi localizado num terreno de propriedade da pessoa conhecida como Dr. Ernando na Rua Sagrada Família, bairro Zé Dodô, por atrás da Creche “Sagrada Família”.

O achado do cadáver foi comunicado ao destacamento policial militar assareense pelo vigia da creche. A guarnição PM composta pelos sargentos, Bandeira, Haroldo e Airton compareceu ao local e solicitou a presença da perícia forense do cariri que fez o traslado do corpo para ser necropsiado.

De acordo com o registro policial, o vigia disse aos militares que por volta das 04h00min deste dia verificou uma moto estacionada de frente a Creche, a saber, uma Yamaha/YBR 125 Ed, Ano 2007/2007, Cor Verde, Placa DXO-1964, com inscrição de Campinas/SP, final do Chassi 16010, e após amanhecer o dia, o veículo ainda encontrava-se no local. Mais tarde, segundo o vigia, verificou alguns “urubus” sobrevoando em voo baixo um terreno por trás da Creche, e face às circunstâncias em resolveu ir ao local vindo a encontrar o corpo da vítima.

A polícia diz ter apurado que a citada motocicleta era de propriedade do agricultor encontrado morto. Ainda segundo os policiais que atenderam a ocorrência, apurou-se também que a vítima fora vista com vida pela última vez, por volta das 03h00min deste sábado num evento festivo (forró) na “Pracinha” do Bairro Zé Dodô, inclusive um irmão seu (não qualificado) relatou que ele saíra de casa com a pretensão de ir a tal evento.

O policiamento militar realizou diligências no intuito de identificar a autoria da ação criminosa, porém não se localizou ninguém que tivesse informação sobre a motivação ou execução do crime, ou outra circunstância indiciária. Familiares relataram ainda não desconfiar de ninguém e que a vítima não tinha inimigos, ademais não há registro de que a vítima respondesse a processo criminal.

Fonte: Caririceara