Ceará tem nono maior saldo positivo do ano de empregos com carteira assinada em setembro de 2018


Foto: Agência Brasil 

O Ceará mantém uma série de resultados positivos de postos de trabalho, sendo que o de setembro foi o maior da série já ajustada para o ano de 2018, quando acumulou um saldo de 6.355 vagas, resultado superior ao do mesmo mês do ano passado, quando o registrado foi de 2.264 postos. Já o saldo acumulado em 12 meses foi também positivo em 22.385 vagas com carteira assinada, o que representa uma variação de 1,99 por cento no estoque de empregados no Ceará. Os dados, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, estão no Enfoque Econômico (nº 204) – Desempenho do Emprego Celetista Cearense em Setembro de 2018, que acaba de ser lançado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do Governo do Estado do Ceará.

Os setores que mais contribuíram com o resultado do Ceará, em setembro de 2018, segundo o analista de Políticas Públicas Alexsandre Lira Cavalcante, da Diretoria de Estudos Econômicos do Ipece, foram Agropecuária, com 1.092 postos; Administração de Imóveis, Valores Mobiliários e Serviços Técnicos (986)) e Comércio Varejista (911 vagas). Fortaleza foi responsável por quase 40,0 por cento (2.537 postos) do resultado mensal de setembro deste ano. Cerca de 20 por cento (530) do resultado de Fortaleza foi decorrente do setor de Comercialização e Administração de Imóveis, Valores Mobiliários e Serviços Técnicos; 16,8 por cento (425 postos) a Serviços Médicos e 15,9 por cento (404 postos) ao Comércio Varejista.

Já em Eusébio, segundo município com maior saldo de empregos, 70,5 por cento do resultado (213 postos) ocorreu no setor de Comercialização e Administração de Imóveis, Valores Mobiliários e Serviços Técnicos e 30,8 por cento (99 postos) ao setor de Construção Civil. Já em Maracanaú, analisando os municípios com os três maiores resultados, 46,6 por cento do saldo positivo registrado foi puxado pelo setor de Indústria Têxtil do Vestuário e Artefatos e 27,6 por cento (80 postos) no setor de Comercialização e Administração de Imóveis, Valores Mobiliários e Serviços Técnicos. Em contrapartida, Maranguape, Quixadá e Quixeramobim foram os municípios com os maiores saldos negativos mensais do Ceará.

O Brasil apresentou saldo positivo, entre admissões e demissões, na ordem de 137.336 novos contratos trabalhistas formais para o mês de setembro de 2018. O resultado é superior a setembro de 2017, quando foi registrado um saldo positivo de 49.283 empregos. Já o saldo acumulado em 12 meses segue positivo em 459.217 postos de trabalho, o que representa uma variação de 1,2 por cento no estoque total de empregados no país. Esse resultado foi puxado principalmente pelos subsetores de Comercialização e Administração de Imóveis, Valores Mobiliários e Serviços Técnicos (25.872 postos) e Indústria de Produtos Alimentícios, Bebidas e Álcool Etílico (29.652 postos).

Os estados pertencentes ao Nordeste – no caso, Pernambuco, Alagoas, Bahia e Ceará – estão entre as que tiveram os maiores saldos positivos, bem como os estados do Sudeste: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Dentre os estados nordestinos que participam do ranking, setores em comum que contribuíram para o resultado positivo foram os de Agropecuária e Indústria de Produtos Alimentícios, Bebidas e Álcool Etílico.

Governo do Estado do Ceará