Após ataques, prefeitura de Milagres emite nota pedindo que moradores permaneçam em casa; caso será investigado, afirma secretário André Costa.

Por Henrique Macêdo - Redação Aurora Notícias 

Milagres - A prefeitura de Milagres, na região do cariri, através da Secretaria da Segurança Pública, Cidadania e Defesa Civil, emitiu nota à população recomendando que os moradores permaneçam em casa até que a ordem seja restabelecida na cidade. O Governo Municipal afirma que está em concordância com as orientações do comando da Polícia Militar, que no momento se encontra em diligências no município. A ação conta com o apoio do helicóptero da CIOPAER.

Confira a nota na íntegra:



Sobre o caso

O grupo não conseguiu levar o dinheiro das instituições bancárias, Banco do Brasil e Bradesco, ambas localizadas na Rua Presidente Vargas, no Centro de Milagres. Foto: Redes sociais 

O tiroteio aconteceu por volta das 02h17 minutos. 12 pessoas morreram. Seis eram reféns, cinco da mesma família que residia na cidade de Serra Talhada, em Pernambuco. Da família assassinada, duas pessoas eram crianças com idades entre 10 e 14 anos. A sexta pessoa morta, que de acordo com o prefeito Lielson Landim seria do município de Brejo Santo, não foi identificada até o momento. Um caminhão foi usado pelo bando para bloquear a BR-166, imediações da ponte sobre o riacho Tamanduá, e parar o veículo das vítimas. O grupo criminoso estava fortemente armado e houve intensa troca de tiros durante cerca de 20 minutos, o que deixou a população em pânico. Um dos suspeitos foi ferido durante a troca de tiros e está internado em um hospital da cidade. O grupo não conseguiu levar o dinheiro das instituições bancárias, Banco do Brasil e Bradesco, ambas localizadas na Rua Presidente Vargas, no Centro de Milagres.

Inicialmente, a coordenadoria de Medicina Legal (Comel) da Perícia Forense (antigo IML) de Juazeiro do Norte, havia anunciado, que 13 pessoas morreram no tiroteio. Posteriormente, em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Ceará confirmou 12 óbitos.

O comerciante João Magalhães, 48 anos, e seu filho Vinicius, de 13 anos, estão entre as vítimas.
Fotos: Redes sociais

Até o momento, duas pessoas que morreram no tiroteio foram identificadas, o comerciante João Magalhães, 48 anos de idade, proprietário de uma loja de informática, e o seu filho, Vinícius Magalhães, de 14 anos. Segundo informações, pai e filho foram até ao Aeroporto Regional do Cariri, em Juazeiro do Norte, para buscar três familiares que vinham do estado de São Paulo para passar o fim de ano em Serra Talhada.

A polícia não deu informações sobre a identidade dos bandidos mortos.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Ceará, dois suspeitos foram presos. Sidney Wynne Santos, 25 anos, e Robson José dos Santos, 36 anos. 

Sidney foi preso em posto de gasolina próximo ao município de Mauriti, sendo que no momento da prisão, tentou fugir. Com ele foi apreendido uma pistola. 

Já Robson José, foi capturado pela manhã em Brejo Santo. Ele contou a polícia ser o motorista que daria fuga ao bando. 

O secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, delegado federal André Costa, falou sobre o assunto na inauguração do Centro Regional de Inteligência, em Fortaleza.

“É muito difícil julgar, pois não sabemos ainda o que realmente aconteceu. Houve uma troca de tiros. Um dos presos diz que matou pessoas que estavam no local e que não era da quadrilha. Vai ser feito um trabalho de perícia”, afirmou.

Na ação, a Polícia Militar apreendeu uma pistola 9 milímetros, um revólver calibre 38, uma arma calibre 12, explosivos, três veículos, uma caminhonete e um celta.

As investigações sobre o caso estão em andamento.

Este foi o 44º ataque contra instituições bancárias no estado, segundo o Sindicato dos Bancários do Ceará.

Faça o Aurora Notícias conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (88) 99799 9345.