Cearense faz vídeo na Antártica homenageando professores de Juazeiro do Norte com bandeira do município

Foto: Reprodução/G1

Na Antártica pela segunda vez, o sargento cearense Flávio Cruz compartilhou em suas redes sociais um vídeo gravado no continente, em que aparece segurando a bandeira de Juazeiro do Norte, agradecendo ao trabalho dos professores que teve quando criança na escola pública João Alencar de Figueiredo, do município. Cruz está em missão na Antártica desde outubro deste ano, para levar equipamentos e alimentos à estação brasileira Comandante Ferraz, onde são desenvolvidas pesquisas sobre clima.
                    
Cearense Flávio Cruz fala sobre sua trajetória direto da Antártica
Vídeo: Reprodução/G1 CE

Citando os nomes dos professores, o cearense fala sobre o valor do que aprendeu na escola, onde estudou da alfabetização à antiga oitava série, de como a educação contribuiu para que chegasse onde está, e exalta o trabalho dos docentes.

"Olha só, tô aqui na Antártica! Estudei numa escola humilde, simples de Juazeiro, mas cheia de professores valentes que não desistem nunca. Alguns estão até o dia de hoje ensinando. Não tem o impossível, é só estudar, correr atrás", diz Cruz.

O sargento conta parte da trajetória de vida e pede para que a mensagem sirva de incentivo aos professores. "Eu não tinha condições, minha família é pobre. Olha onde eu vim parar."

"Quero agradecer esses professores valentes, que tavam lá dia e noite. Não desistiram. Que esse vídeo sirva de incentivo, professores, pra que vocês continuem fazendo esse trabalho espetacular. E vocês nunca saem da nossa memória! Tempos bons, aqueles", completa.

Flávio Cruz com a mulher. O sargento cearense homenageou professores de Juazeiro do Norte na Antártica. — Foto: Arquivo Pessoal

Aprendiz na Marinha

Flávio Cruz nasceu em 1980 e viveu em Juazeiro até 1997. Hoje, aos 38 anos, trabalha com eletrônica de navios. Em seu depoimento no vídeo, relata que já foi engraxate, vendeu latinhas e ferro-velho.

Ele está há três anos sem visitar a terra natal, e afirma que sempre que vai até lá faz questão de visitar os professores, que guarda como referência até hoje.

"Eu tenho sonho de ser professor desde criança. Tinha esses professores como mestres, sempre me espelhei neles. Para mim não é mais do que minha obrigação fazer essa homenagem para essas pessoas que me ensinaram a ser o que sou hoje", frisa.
Aos 17 anos, Cruz passou em uma prova para estudar como aprendiz na Marinha do Brasil. Naquele ano começava uma carreira que o levaria à patente de sargento e a missões como esta da Antártica, onde já havia estado em 2017.

Ele foi ao continente mais frio do mundo a bordo do navio Polar Almirante Maximiano. A viagem dura 15 dias a bordo, sem contar as paradas no Rio Grande do Sul (RS) e em Punta Arenas, no Chile. A comitiva retorna ao Brasil em 12 de abril de 2019, para o Rio de Janeiro, totalizando 186 dias de viagem.

O sargento tem experiências em missões na Amazônia, em navio de patrulha nos rios da fronteira com Peru e Colômbia, e em navio-hospital que transporta profissionais de saúde a comunidade ribeirinhas.

Casado com a também juazeirense Maria de Fátima, que conheceu ainda criança, o cearense mora atualmente com a família em São Gonçalo, no Rio. O casal tem cinco filhos. Por telefone, direto da Antártica, ele conversou com a reportagem, e contou que a bandeira exibida no vídeo foi adquirida durante férias passadas em Juazeiro do Norte, em 2010.

Fonte: G1 CE