Fala do governador do Ceará faz com que a Câmara Municipal de Serra Talhada lance nota de repúdio


Uma fala do governador do Ceará, Camilo Santana (PT), nessa sexta-feira (7), gerou descontentamento em amigos, familiares e admiradores do empresário serra-talhadense João Magalhães, morto a tiros, ao ser feito refém por assaltantes de banco, ao lado do filho Vinícius e mais três parentes que vinham de São Paulo, no município de Milagres (CE).

Em entrevista à imprensa, o governador chegou a colocar em xeque a idoneidade das vítimas, mortas violentamente, após serem feitas de ‘escudo-humano’ pelos bandidos, durante confronto com a polícia daquele do Ceará. “É estranho um refém de madrugada no banco”, questionou ele.

A cidade de Serra Talhada está em choque e consternada com a dor dos familiares do empresário João Magalhães.

NOTA DE REPÚDIO

A declaração do governador Camilo Santana fez com que o vereador serra-talhadense Sinézio Rodrigues, que é do mesmo partido de Camilo, emitisse uma nota de repúdio reprovando a postura do correligionário.

Sinézio disse que o governador Camilo Santana foi infeliz. “Ele foi infeliz em sua fala e merece receber repúdio até de nós mesmos do PT. Então vou apresentar à Câmara Municipal uma Moção de Repúdio a essa declaração infeliz do governador”, adiantou Sinézio ao site Farol de Notícias, por telefone.

Nessa sexta (7), o ministro da Segurança Pública, Raul Jungman, disse que “tragédias como essas acontecem”. Ao todo, o tiroteio deixou 14 mortos.

O sepultamento do empresário João Magalhães, seu filho Vinícius, e demais parentes que vinham de São Paulo para passar o Natal em Serra Talhada deve ocorrer neste sábado (8).

Fonte: Site Farol de Notícias